sábado, 8 de outubro de 2011

Sobre trabalho, viagens e maternidade.

Se tem uma coisa da qual sou muito bem resolvida é sobre o assunto: carreira e maternidade. Desde meus 23 anos trabalho, estudei, me formei, busquei me aprimorar, me especializar pra isso: construir minha carreira. A maternidade sempre foi sonho, ideal e desejo. Graças a Deus tive oportunidade de construir uma família e com ela realizar o desejo de ser mãe.

Nunca passou pela minha cabeça que a carreira fosse tão ou mais importante que a maternidade que a anulasse dentro de mim. Da mesma forma que nunca pensei em largar mão de tudo que construí na minha vida profissional por conta da maternidade. Mentira! Logo qdo o bebe faz 3-4 meses, você se vê no fim da licença maternidade, acho que o que a maioria das mães quer e/ou pensa é em largar o trabalho pra ficar ali, protegendo a cria, acompanhando seu desenvolvimento. Eu também pensei nisso, claro!! Largar o trabalho, tirar uns 2 anos sabáticos, ou coisa que o valha. Na verdade o que eu queria mesmo era uma licença maternidade mega-ultra-blaster de um ano talvez. Sei que é pedir muito, mas era o que eu queria com todas as minhas forças logo que me vi tendo que voltar ao trabalho e deixar em casa com a vovó um bebezinho de 5 meses que ainda mamava no peito, estava recém descobrindo os alimentos, entre tantas outras coisas.

Mas a verdade é que a volta ao trabalho foi super tranquila. Ter aquele tempo só pra mim foi ótimo. Almoço com as amigas, me ver produzindo e conversando sobre outras cosias que nao seja o universo materno me faz bem. Claro que a vontade era de voltar correndo pra casa cada vez que o peito enchia e doía de tanto leite que meu filho nao tava mamando naquele momento. Mas logo isso se resolveu, Arthur ficou bem com a vovó e eu fiquei bem também.

Tive um chefe super compreensível com meus novos horários, saídas mais cedo ou chegadas mais tarde pra poder acompanhar filhote no pediatra. Ou uma ausência pra poder estar perto do meu bebê com febrinha e ausência de viagens por um bom tempo. Se não me engano, a primeira vez que viajei a trabalho Arthur já tinha quase 2 anos, já estava na creche e foi super tranquilo.

Algumas outras viagens já aconteceram e tudo correu perfeitamente bem. Um super esquema com papai e vovó e pouca ou quase nada se mexe na rotina do pequeno. Telefonemas escutando “saudade”, “amo, mamãe” amenizam a saudade e encurta a distancia.

Daí que agora me vejo diante de mais uma viagem. Comum como outra qualquer se não fosse pelo fato de eu estar indo viajar numa semana que tem: Dia das Crianças e meu aniversário. Tudo num mesmo pacote. E aí estou com o coração do tamaninho de uma azeitona. Veja bem, não é uma semana qualquer!! Além de essa ser a viagem na qual vou ficar mais tempo longe: 6 noites fora (conto em noites pq acho que é a parte mais difícil, já que durante o dia ele esta na creche e não sente tanto a ausência), vou estar longe do meu pequeno no feriado de dia das crianças, no qual sempre temos planos de fazer algum passeio pra aproveitar o dia, e vou estar longe dele e toda família e amigos no dia do meu aniversário e ainda por cima passar o domingo todo em viagem. Pra completar tem o fuso horário. Aqui no Brasil são 2 horas a mais que em Bogotá e quando eu estarei pronta pra ir pro quarto do hotel e entrar no Skype pra ver meu pequeno pela tela do computador, ele já estará dormindo!

Mas sei que vai passar rápido. Hoje iremos ter uma comemoração dupla: dia das crianças e meu níver. Família toda reunida pra poder amenizar a distancia da semana que vem.

Mas ainda assim acho que vale muito a pena toda a correria do dia a dia pra dar conta de casa, filho e trabalho!!

Que o relógio colabore e conte as horas bem rapidinho. Não vejo a hora do sábado que vem chegar! :)

De repente arrumo um tempo pra blogar de lá e me ajudar como passatempo.

Beijos, Flavia.

8 comentários:

  1. Flavinha, ser mãe, mulher e profissional não é mesmo tarefa fácil. Muitas vezes me pego triste por achar que não consigo desempenhar nenhuma dessas tarefas de forma eficaz. Mas sabe, acho que não seria completa sem as 3. Imagino como esteja seu coração com essa "longa" viagem e ainda mais em uma semana tão especial, mas Arthur terá, com certeza, muito orgulho dessa mãe guerreira, que luta e busca uma condição de vida legal para ele e isso tudo sem perder o charme e o cuidado com ele e o papai. Vá com Deus! Todos ficarão bem!
    estou na torcida para que essa semana passe rapidinho e logo vc esteja de volta aos seus.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Boa viagem e feliz aniversário. O Arthur certamente estará te esperando com o maior dos sorrisos quando vc chegar. Vá em frente!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ameei teu blog !
    Estarei te acompanhando !
    O Arthur é muito lindo!
    Dá uma olhadinha lá no meu blog .. sou iniciante ainda
    beeijão
    http://protagonistasdaminhanovela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ai, Flavinha, duro mesmo! Mas vai passar rápido e vc vai aproveitar! Beijocas e boa viagem!!!!
    Feliz Aniversário adiantado!
    bjs,

    ResponderExcluir
  5. Linda, guerreira e super mãe! Você é exemplo. E o relógio vai ajudar sim =) Vai passar rapidinho e quando voltar você dá um jeito nessa saudade. Sei que o Tucs não vai reclamar ao receber carinho acumulado desse tempinho longe =D

    ResponderExcluir
  6. Bom, algumas noites já passaram... Hoje é a véspera do dia das crianças, e eu imagino que amanhã você vai morrer de saudades do Arthur. Mas sabe, dia das crianças é todo dia! E, perder o aniversário é chato, mas... Bom, considere que se você não comemorou, o aniversário não passou e você não envelheceu outro ano. Pronto! :)

    Mais importante do que qualquer presente que você poderia dar para o Arthur, é ele te ver feliz e realizada profissionalmente. Porque isto, sim, faz a diferença a longo prazo. Ele não vai lembrar que passou o dia 12/10/2011 longe de você. Mas certamente lembrará, com orgulho, do seu sucesso!

    Que as horas voem mais rápido que o normal e você volte correndo para apertar o pequeno, beijar o maridão, abraçar a família toda! E aí, sim, comemorar muito!

    Beijo grande, Dadá
    http://umahistorinhapordia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Flávia,

    Admiro muito vc. Entendo essa aflição. Passei a primeira virada do ano casada e grávida com meu marido de plantão. Imagine se fosse meu niver e dia das crianças longe dos filhotinhos. Só li este post agora mas quero dizer pro seu coração ficar tranquilo. Os filhos sabem qdo os pais estão com eles dentro do peito, sentem. Minha mãe sempre trabalhou fora, trabalha até hoje e ela não seria o que é se não tivesse vida profissional. É importante pra ela e nós filhos sempre entendemos isso.Tenho certeza que Arthur vai orgulhar-se da mamãe engenheira dele. vc não tem ideia de quanto, tiro isso pois sempre me orgulhei da minha mãe ter vida além de nós 4. Tanto pra dizer mas sem as palavras certas no momento pra escrever. Um beijo e guarda um sorriso bem grande pra quando encontrá-lo.

    ResponderExcluir
  8. Flávia,

    Admiro muito vc. Entendo essa aflição. Passei a primeira virada do ano casada e grávida com meu marido de plantão. Imagine se fosse meu niver e dia das crianças longe dos filhotinhos. Só li este post agora mas quero dizer pro seu coração ficar tranquilo. Os filhos sabem qdo os pais estão com eles dentro do peito, sentem. Minha mãe sempre trabalhou fora, trabalha até hoje e ela não seria o que é se não tivesse vida profissional. É importante pra ela e nós filhos sempre entendemos isso.Tenho certeza que Arthur vai orgulhar-se da mamãe engenheira dele. vc não tem ideia de quanto, tiro isso pois sempre me orgulhei da minha mãe ter vida além de nós 4. Tanto pra dizer mas sem as palavras certas no momento pra escrever. Um beijo e guarda um sorriso bem grande pra quando encontrá-lo.

    ResponderExcluir

Vou adorar receber seu comentário!

Ocorreu um erro neste gadget