terça-feira, 29 de setembro de 2009

Série Amamentação: O que é o leite materno?

O que sabemos do Leite Materno vem daquilo que observamos do leite de vaca, um líquido branco e brilhante. O leite de canguru é rosado. Mas o que interessa é que o leite é espécie–específico, porque sua composição é feita para determinadas necessidades de crescimento e maturação do bebê de cada espécie.

Por exemplo, o leite de vaca contém mais ácidos graxos voláteis que o leite humano, e bebês humanos não digerem esses ácidos muito bem; eles produzem muitos gases nos bebês.

O leite de vaca também contém mais ferro mas este não é aproveitável pelo sistema digestivo humano. O bebê absorve melhor o ferro do leite materno, que também é digerido em cerca de vinte minutos, enquanto o leite de vaca pode levar cerca de duas horas para ser totalmente digerido (a fórmula). O leite materno também contém cerca de uma centena de aminoácidos, vitaminas, sais minerais, e açúcares, compondo uma receita especialmente feita para as necessidades do bebê humano.

A composição do leite também oferece a chave para o estilo e intensidade do comportamento materno espécie-específico. Em espécies cujas mães só amamentam ocasionalmente e deixam seus bebês sozinhos por longos períodos, o leite é rico em gordura e proteínas, de modo que o bebê possa ser compensado (pela proteína) e satisfeito (pela gordura) por longos períodos, sozinho. Quando o leite é pobre em gordura e proteína, como o leite humano, isso indica que a amamentação é destinada ou tende a ser mais constante. O leite humano contém cerca de 88% de água e 4,5% de gordura em média, dependendo do estilo de aleitamento; intervalos longos produzem leite com baixa concentração de gordura, enquanto a amamentação contínua produz alta concentração de gordura. Ao contrário, o leite da foca é constituído de 54% de gordura, o que é bastante. Ou seja, o bebê foca é aleitado a longos intervalos, e também precisa de altas concentrações de gordura para adquirir as grossas camadas de gordura corporal para viver em ambiente aquático.

Referência: Our babies, Ourselves / by Meredith Small, Anchor Books, NY, 1999.

diferença entre leites

Outra diferença fundamental estabelece-se entre os mamíferos que escondem as suas crias em tocas, como os coelhos, e aqueles que levam as crias para toda a parte ao colo, como os primatas, ou a andar, como as ovelhas.
A mãe coelho passa a maior parte do tempo possível a uns metros de distância da sua toca para não atrair os lobos com o seu odor (o odor das crias é muito mais fraco do que o da mãe). A mãe coelha deixa as suas crias escondidas na toca e amamenta-as apenas uma ou duas vezes por dias.
Para passar tantas horas sem comer, os coelhos bebês necessitam de um leite muito concentrado: 13 por cento de proteínas e 9 por cento de gordura. A cria da cabra acompanha a mãe para toda a parte e mama de forma quase contínua, pelo que o seu leite contém apenas 2,9 por cento de proteínas e cerca de 4,5 por cento de gordura.

O leite materno contém cerca de 0,9% de proteínas e 4,5% de gordura. Quanto tempo pensa que um bebê consegue aguentar sem mamar?

Seria ridículo tentar explicar a uma coelha que deve ser «uma boa mãe» a passar mais tempo com os filhos, do mesmo modo que seria absurdo dizer a uma cabra que não deveria andar sempre com a sua cria «agarrada às suas saias», porque a cria necessita de «tornar-se independente » e a mãe «também necessita de momentos de intimidade para viver em casal».

Referência: Livro "Besame Mucho", de Carlos Gonzalez.

Ou seja, nossa espécie foi “projetada” a ter nossos bebês sempre bem pertinho de nós. Por isso a necessidade deles em mamarem em livre demanda e sempre com intervalos pequenos. Forçar um bebê a mamar em intervalos de tempo que você julga ser o melhor só fará com que ele se sinta desprotegido e não recebendo a nutrição adequada.

E aí você que já amamentou ou amamenta deve ter escutado ao menos uma vez: “Seu bebê está fazendo seu peito de chupeta!”; “Ele não tá mamando, tá chupetando!”.

Bem, aprendi lendo meus fóruns prediletos, que a a capacidade gastrica do bebê é COMPATIVEL com o leite mamado por vez. É como se fosse um carrossel. Só cabem 5 crianças por vez. Não adianta 10 pedirem pra ir. Vâo 5, depois 5, depois 5, depois 5... Com o leite é assim.

Mamar dormindo é normal. Toda sucção é sugar. Chupeitar nao existe. Quem chupa chupeta, engole saliva. Quem chupa peito, engole leite, por menos que pareça estar saindo.

Pensem nisso, antes de lançarem mão tão facilmente de darem Leite Artificial ou Leite de Vaca aos seus filhos. Infelizmente, por mais que eu tenha lido a respeito sobre o assunto durante a gravidez, só fiquei sabendo disso tudo que estou postando quando me vi dando NAN ao meu filho e aí devorei ainda mais tudo sobre o tema. Graças a Deus já diminuí muito o LA pro Arthur. Já tivemos dias inteiros (inclusive madrugadas) sem LA aqui. A meta é não comprar uma próxima lata de NAN e manter ele mamando muito no peito da mamãe!

Beijos, Flávia.

4 comentários:

  1. Flavinha, essa série tá ótima!
    beijocas

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Flavia! fico impressionada de ver como você está doutorada em maternidade. Dá pra escrever um livro!
    Sobre a questao da gordura do leite, eu acrescentaria que é importante o bebê mamar o peito até secar antes de ir pro segundo, porque o final do leite é o que tem maior teor de gordura.
    Bjs.
    Pri

    ResponderExcluir
  3. Nossa, este blog está parecendo um enciclopédia!
    Fico impressionada com a sua força de vontade em retirar o LA da alimentação do Arthur, estou gostando de ver!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal seu post. Bem completo! Bom, a Stephanie fala para a gente prestar atenção e não deixar o beber chupetar o peito. Mas ela não se refere sobre se sai ou não leite quando o bebê chupeta. O foco é outro. Primeiro, é para ter cuidado com a pegada correta do bebê e depois é na criação de um hábito que depois pode ser complicado de tirar. O bebê já estaria alimentado e só seria um chamego. Chamego é bom, mas demais.... tudo tem um preço depois! Outra coisa que ela sugere é que a gente deve evitar deixar o bebê dormir no peito. De início é uma gracinha! É bom para vc, é bom para ele! Mas depois pode se tornar a famosa paternidade acidental que a "Encantadora de Bebês" fala. O bebê só dorme no peito ou só dorme entre os pais... Fique atenta para esses hábitos. Fico muito feliz de ver que, de alguma foram, eu contribui para vc conhecer a Stephanie ( método da sondinha) e estar, a qq momento, deixando de comprar NAN. Torço por vcs! Bjs, Carol

    ResponderExcluir

Vou adorar receber seu comentário!

Ocorreu um erro neste gadget