quarta-feira, 3 de março de 2010

Mini adultos. Qual a graça?

Semana passada rolou uma reportagem na Revista Veja que me deixou perplexa.

Falava sobre a tendência cada vez maior de crianças que se vestem como adultos, por puro capricho e vaidade das mães. Tudo tem inspiração na menina Suri Cruise, de três anos e meio, que quando era bebezinha, eu achava fofa ela toda enfeitadinha com seus modelitos sempre chiquérrimos e lindos. Era uma graça. Até que a menina foi crescendo e o que antes era muito bonitinho, gracioso foi ficando bizarro! Não tem outro adjetivo melhor pra usar. Suas roupas são lindinhas sim, isso é inegável, mas o estilo da menina me faz ter pena da pequena.

A menina já foi flagrada diversas vezes usando sapato de salto, boca toda besuntada de batom vermelho, bolsas, casacos de adultos…tudo muito OVER! Definitivamente Katie Holmes está errando muito na mão na hora de vestir a menina. Ela tá parecendo uma anã!

003 004 005

Suri Cruise

 

Mas o que eu achava que era coisa de mãe Hollywoodiana, vi na reportagem que aqui no Brasil mães chegam a gastar três mil reais por mês comprando roupas de grifes para as filhas! Na boa, pra quê isso? Pra que pular etapas?

Acho tão chato quando uma determinada situação me exige usar salto alto quando eu não quero. É tão bom andar e correr descalça por aí quando se é criança! Pra quê impor aos filhos nossa vaidade extrema, os impondo a usar roupas de estilistas famosos, maquiagens pesadas, sapatos e bolsas de adultos? Pra que fazer coleção de sapatos e bolsas de grifes quando coleções de bonecas, figurinhas, papel de carta é tão mais legal nessa idade? Definitivamente não entendo.

Olha algumas frases absurdas que li nessa reportagem:

"Falta ocasião para a Luna usar o tanto de roupa que tem", confessa a paulistana Juliana Gheler, 34 anos, sobre o armário recheado da filha de 1 ano e 8 meses, que tem metade da idade mas o dobro de trajes do irmão Ariel, de 4.

(..)a consultora de imagem Ana Cury constata o mais do que evidente: o capricho no visual das pequenas Suris está diretamente ligado ao perfil das mães. "São mulheres que têm uma carreira, sabem da importância da imagem e deixaram para ter filhos mais tarde. Quando engravidam, querem que sua posição social se transmita para toda a família", analisa.

A empresária Ana Cristina Bonfim, 33 anos, mãe de Sofia, 2, se encaixa perfeitamente no perfil. Sempre atenta às novidades, não passa semana sem comprar alguma roupinha para a filha. O entusiasmo supera amplamente as necessidades. Sofia tem dez novos pares de sapatos para o inverno que ainda nem começou.

Mãe de Gabriela, 6 anos, e Julia, 3, a dona de casa Denise Lintz, 36, é outra que se orgulha de compor o visual das filhas com minúcias de stylist - o assessor de guarda-roupa que veste as famosas. Denise gasta cerca de 1 500 reais por mês com mimos variados, inclusive sapatos de salto alto à moda de Suri. "Na verdade, um saltinho", releva.

Seguindo pelo mesmo rumo do alto de seus 3 aninhos, Luana, filha única da secretária carioca Márcia Otero, 40, faz coleção: de seus 28 pares de sapatos, sete são de saltinho. "Nós fizemos um acordo: se ela largasse a chupeta, ganhava um sapato de saltinho. Agora, ela não quer saber de outro tipo", diz Márcia, que gasta cerca de 3 000 reais por mês com roupas e acessórios infantis, com pleno apoio do marido

Do tipo que não sai de casa sem abrir seu kit de maquiagem infantil e passar batom (no momento, favorece o vermelho), Luana fez a mãe ir de loja em loja atrás de um vestidinho preto para seu aniversário. Para dormir, usa camisola de seda. "Não medimos esforços porque achamos que vaidade tem de vir desde pequena", afirma Márcia.

"Com 6 anos, minha filha sabe melhor que eu o nome dos estilistas que usa", diz a farmacêutica Renata Berardocco, 39, sobre Vittoria, dona de um armário repleto de roupinhas Ronaldo Fraga e Isabela Capeto, que custam em média 300 reais.

Eu acho lindo ver uma menininha toda arrumadinha, enfeitadinha, mas sem perder o lado criança. Criança tem que usar roupa de criança, ou melhor, ter estilo de criança, ainda que a roupa seja inspirada em modelito adulto. Brincar com a maquiagem da mãe nessa idade é super natural, o que não acho certo é maquiar a filha pra ir ao shopping, entende?

Sei lá, ou o mundo tá de cabeça pra baixo ou eu to ficando careta! Seja o que for, continuo achando que essas crianças estão sendo vítimas de uma vaidade desnecessária tão cedo. Depois a mãe não vai entender porque a filha é bulímica, anoréxica ou vítima de algum transtorno de comportamento já que fica cultuando desde sempre a imagem do belo, do rico, do fashion, do consumismo desmedido.

A reportagem completa você encontra aqui!

Fotos: http://babysuri.wordpress.com

Beijos, Flávia.

17 comentários:

  1. Ainda bem que somos mães de meninos, rs... brincadeiras à parte, acho isso o fim. Criança é criança. Pular etapas deve, com certeza, trazer algum mal lá na frente...

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. ooootimo post flavinha!!
    Adoro arrumar a sophia, tenho que me conter pra nao gastar mais do que o necessario com coisinhas pra ela... São muitas coisas lindas e mamães de meninas que não querem ser uma Kat sofrem com isso...rsrsrs...
    Eu sou do tipo que adoro uma rasteirinha, só uso um batonzinho e ponto no dia a dia... Entao exemplo em casa a Soso nao vai ter... hehe
    Mas quero que ela seja vaidosa, mais do que eu. Mas tudo na medida!!
    A gente pode deixar nossas babies lindas mas de acordo com a idade delas né? Aki em casa salto e batom só vao entrar qdo chegar a hora e minha menina se tornar de verdade uma mocinho!
    Bjokas

    ResponderExcluir
  3. Faço coro com as mães preocupadas com esses excessos. Tudo bem querer imitar a mãe, usar salto, passar batom, pintar as unhas. Mas isso numa brincadeira, de vez em quando. Também fizemos isso!
    Agora, querer que uma menina se vista e se comporte como adulta é um absurdo!
    Ningúem avisou à Kate Holmes (isso?) que esse saltinho, mesmo que pequeno, antes da hora vai detonar a coluna da filha dela? Que essa maquiagem vai estragar a pele e pode causar alergias e outros problemas?
    Enfim... cada um que cuide do seu...
    Vou incentivar a vaidade da minha filha na medida em que ela for crescendo... tudo na sua fase certa.
    Sem saltos antes da hora, maquiagem e esmaltes no dia-a-dia ou roupinhas de deixam as meninas parecendo umas "p****" mirins!
    Ótimo post.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho essa revista... fiquei "bestificada"! Onde vamos parar?

    ResponderExcluir
  5. Eu também li a reportagem e achei repugnante. Mas ainda não tinha visto essas fotos. Exagero. Muitos modelitos são lindos, mas poderiam dispensar perfeitamente a maquiagem e o salto alto (acho o cúmulo!).
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Bizarro mesmo isso... É uma maldade antecipar preocupações e responsabilidades. E o pior é que se decidimos fazer à moda antiga corremos o risco de expor os filhos ao ridiculo do 'atraso'. Complexo isso....

    ResponderExcluir
  7. Ótimo post Flavia, concordo plenamente com vc, criança tem q ser criança....Nada de mto exagero para os nossos pequenos...Bjos no Arthur.

    ResponderExcluir
  8. Flavia!!!
    show o post!!!!
    mt bem colocado!!! acho um absurdo essa Suri!!! li uma reportagem q fala q é a religião deles q não permiti q criança seja tratada como criança e por ai vai!!
    mas nada justifica!!!
    tenho uma irmã novinha, como vc sabe, e coisa q eu não gostava era vê-la ainda com seus 2, 3 anos com roupa imitando de adulto, querendo usar salto!! logo fui falando q tudo tem seu tempo, igualzinho meu pai fez comigo!! rsrs adoro ver aquelas vestidos coloridos, de criança mesmo!!!
    agora ela já tem 8 anos... e esse fds fui até naquela loja Fábula, roupas da Farm para crianças, pra ver um presente para afilhada do meu irmão de 2 aninhos... achei legalzinha e tal mas mt coisa achei tão demais!! aqueles coloridos tão fortes, para uma criança de 2, 3 anos!!! acho q uma ou outra vai, mas demais acaba virando uma criança caricata!!!

    Certíssimo seu post!!!!

    bjaoooo

    ResponderExcluir
  9. Flavinha, completamente sem noção essa mulherada que veste a filha como adulta! Triste!

    Eu, que achava a Suri tão fofa, hoje acho tão bizarrinha!

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Concordo com vc criança é criança e deve se vestir como tal, elas terão vida inteirinha pra usar o que quiserem depois.

    E realmente essa menina coitada parece uma anã mesmo rsrsr

    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Flavia
    te encontrei num comentário do Mamíferas, e vim espiar teu blog.
    Sou flavia tambem, mãe de um garotinho de 2 anos.
    E cada vez e ainda mais apaixonada por esse novo mundo da maternidade.
    Já tinha visto essa reportagem, e tenho pena, muita pena dessas crianças que crescem tendo o consumo como valor absoluto.

    bjs

    Flavia
    www.joaoastronauta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Otimo post!!! Tbm penso como vc, criança tem que ser crinaça. Não vejo mal uma menina querer usar baton ou esmalte, desde que seja moldado para sua idade, e por brincadeira, nada de menininhas com baton e unhas vermelhas!!! Nem penso por uma doença no futuro, é pq acho feio mesmo e inapropriado, acho que é dar valores errados para uma criança!!! Realmente Bizarro!!!

    Bjão
    aproveito pra falar que Arthur esta mais fofo que nunca

    Suelem Castro - Santo André SP

    ResponderExcluir
  13. Blog magnífico, adorei. Vou acompanhá-lo quando puder. Um abraço

    ResponderExcluir
  14. Flavinha, estou tentando voltar... mas ainda não estou com o computador instalado em casa. Bom, vc sabe que outro dia eu fiquei assustada com esse assunto! Uma amiga está pintando a unha da sua filha da idade da Malu (1 ano e 8 meses)! Cores da moda: laranje, vermelho. Adoro vestir a Malu de um jeito mais moderninho, mas eu espero estar sempre atenta e não ultrapassar o limite!

    Andei vendo algumas fotos... seu filho tá lindo!

    Bjs,
    Carol

    ResponderExcluir
  15. Olá Flávia, adorei seu post!
    Lá em casa o bicho pega, pois tenho duas meninas.
    A mais velha vai fazer dez anos, e, estes dias tava passando lápis e rímel sem meu consentimento para ir para à escola!
    Já brequei!
    O que vejo é uma total "erotização" precoce em nossa cultura.
    É ensinar a dançar o rebolation, é rebolar.
    Em casa cultivo que elas sejam bem ninas mesmo. Sem essa de pular etapas.

    Beijo

    Tati

    ResponderExcluir
  16. Flavia

    Li essa matéria e concordo completamente com vc, uma absurdo as mães incentivarem as filhas a pular uma fase tão importante.

    O que aconteceu com aquela história de ser criança, brincar, usar o que é confortável e prender os cableos de maria chiquinha? Eu felizmente vivi tudo isso e sou uma adulto muito mais feliz hoje. Sei o que gosto independente de estar na moda, não sou refém disso.

    Que as mães arrumem e enfeitem suas pequenas, mas não esqueçam do que é adequado para uma criança.

    E tem mais: a Surie é linda, ams é uma criança. Uma pena que os pais delas enxergam que ela é uma micro estrela ou algo parecido, deprimente.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  17. Oi, Flavia, vim aqui conhecer seu blog também! E olha só, como pensamos parecido. No dia 22 de fevereiro eu fiz um post falando exatamente sobre essa matéria ridícula que saiu na Veja. E o que me indignou foi o tratamento da revista dado ao assunto, como se fosse tudo lindo e bacana.
    A matéria está aqui, se quiser ver: http://meuprojetinhodevida.blogspot.com/2010/02/guarda-roupa-de-gente-grande-ou-coisas.html
    Beijos,
    Roberta
    www.meuprojetinhodevida.blogspot.com

    ResponderExcluir

Vou adorar receber seu comentário!

Ocorreu um erro neste gadget